top of page

MATURIDADE

Você se julga maduro? Mas quem julga o outro é imaturo. Sim, pois não compreende a motivação humana, nem compreende as condições de aprendizado a que todos nós estamos sujeitos. A maturidade depende de como lidamos com nossas emoções. Por isso somos tão dependentes emocionalmente de pessoas, situações e até mesmo da matéria, que nos esquecemos de olhar para dentro de nós. Somos únicos e sozinhos, diante das situações que nos causam medo e dor. Uma pessoa deprimida, ansiosa, ou dependente emocionalmente, nem sempre responde por si mesma. Cria sempre condições de lutar contra o que causa a dor dessas emoções. Isso a torna fraca em tomar decisões.  A dependência de alguém nos desvia do foco, tira nossa liberdade, faz-nos escravos de um sentimento, pela ilusão da posse, que nos faz agir com insegurança, pelo medo de perder, de não ser. Esses momentos vividos, nos distanciam de nós, daquilo que almejamos materialmente ou espiritualmente. Ok! Como desvencilhar-se desse apego, criado pela imaturidade emocional, vilã de nossas ansiedades, tristezas, depressões? Como voltar a viver, respirar, sentir, fora dessa prisão causada pelo medo de perder? Essa resposta é para alguns fator de desmotivação, pois poucos conseguem sair dessa situação sem traumas, culpas, ou outras sensações que também irão nos aprisionar, na luta pelo retorno da Paz, da normalidade anterior a esse momento de vida. O fato é que nossa Alma nos pressiona constantemente, para agirmos conforme a Lei da Tradição e que quando ali nos encontrarmos, com ela alinhados, todos nossos objetivos da atual encarnação, combinados antes de reencarnarmos, para a evolução adequada, ficarão mais claros a nossa consciência. Todas as informações estão em nossa inconsciência, porém o acesso nos é bloqueado e restrito e vai abrindo, na proporção que evoluímos. Todas as questões a serem compreendidas, e que são discutidas, com outras pessoas, ou dentro de nós, são facilmente explicadas, quando entendida essa regra. Sejamos um com Deus, pela proximidade da Personalidade atual e da Alma inerente a nossa Vida. Só assim os Mestres que nos acompanham terão a oportunidade de atuar, para nossa evolução. “Quando o discípulo está pronto, o Mestre aparece”. Nem tudo aquilo que vemos com nossos olhos humanos é real. O mundo, os fatos são uma ilusão.  E a nossa compreensão que romperá esse bloqueio. O que nos parece bom, nem sempre nos faz crescer espiritualmente. Já o contrário, algum acontecimento ruim, faz-nos mais fortes e com que cresçamos em espírito. Vemos o que e como queremos ver, com os olhos do interesse imediato. Somos impedidos por nós de seguir pela não aceitação daquilo que nos é dado a viver. Não conseguimos enxergar a verdade. O que é real aos sentidos objetivos, nem sempre o é pelos sentidos subjetivos. Nos enganamos para evitar a dor, e esse pode ser o único meio de darmos o primeiro passo na busca interior desejada. O medo nos impede. A ignorância.  A não aceitação. Essa batalha só é vencida ao entrarmos em sintonia com o nosso Deus interior. E a busca desse contato, apesar de ser de nossa responsabilidade, e única possibilidade, não é fácil, pois nos coloca em xeque com o paradoxo de viver o que não queremos, por não entender as justificativas , das explicações dadas acima, para alcançar o que queremos.

“Às vezes o diabo deixa as pessoas viverem a vida sem problemas,  porque não quer que recorram a Deus. Seu pecado é como uma cadeia, só que tudo é lindo e confortável, não há necessidade de sair, a porta está aberta. Até que um dia o tempo se esgota e a porta da cela se tranca, então é muito tarde!”

Trecho do filme “Deus não está morto”

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

AMOR

Kommentare


Post: Blog2_Post
bottom of page