top of page

SOBREVIVÊNCIA

Como devemos viver a vida? É muito difícil acertar nessa decisão, difícil na minha opinião, pois vejo que viver sempre nos trará momentos inesperados. A vida é feita de novidades, a cada segundo uma nova cara. Vivemos em um planeta temporal, com limites, que nos condicionam a sermos flexíveis para sobreviver ao caos diário. Sim, há momentos de paz, poucos, e por tempo curto, isto pressuposto que, não estejamos nos enganando,  nos boicotando em ver a verdade dos fatos. Para cada dia uma estratégia. Feliz quem não se preocupa, feliz e raro, pois não se preocupar significa ter subsídios para poder ser assim, sejam eles espirituais, matérias, psicológicos. Temos necessidades e situações imutáveis, que não nos permitem, muitas vezes, agir para a mudança, renovação. Somos seres presos ao tempo e espaço, e essa limitação nos impede de acessar os mais altos níveis possíveis de energia. Há a limitação do Livre Arbítrio, onde somos limitados pelo carma, criando assim um paradoxo sobre a real liberdade. Assim, para atingir o extremo de nossas sensações  precisamos estar em perfeito estado de mente, corpo e  espírito. Vemos grandes almas, encarnadas, deprimidas, tristes, emocionalmente abaladas, em busca de ajuda. Todos passamos por essa Noite Escura da Alma. Reflito sobre esse momento de vida, como uma  necessidade evolutiva humana. Penso que podemos sim crescer na tristeza, nos acontecimentos ruins, nas crises gerais que nos afligem. Mas por quê? Para quê? Todo esse mecanismo, essas Leis escritas, ferem minha consciência ao pensar nessa necessidade. Poderíamos apenas ser reflexo dessa cadeia criada pelo viver? A vida que levamos, no meio que vivemos, nos traz essa ideia. O que fazer senão reagir às necessidades? São muitas. O valor real está nos interesses individuais. Cada alma segue livre (limitada), presa a conceitos e à moralidade, escrava dos padrões impostos desde que nascem, e que nada podem fazer. Estamos presos à LEI DA SOBREVIVÊNCIA. Tudo agrada, até que desagrade. Tudo serve, até que perca seu valor, sua utilidade. Normal. Porém, para que a busca por algo mude o rumo, precisamos entender quais valores serão quebrados. É necessário, também, criatividade, analisar as consequências e não resistir ao novo. Tudo pode acontecer. É necessário olhar para dentro de nós, analisarmos nossas crenças, nossos paradigmas. Conhecer nossos inimigos internos. E após voltar para dentro de si, estudar todas as margens de erro. Façamos. Dará certo? Talvez. O importante é refletir, pois um bom pensador chega mais rápido ao objetivo, do que aquele que bombardeia tudo que impeça seu êxito. Após, aguarde as sequelas que vêm da mudança. Essas nunca falham. Tudo pela felicidade. Aliás, o que é Felicidade? Se Felicidade tivesse uma única definição, todos teríamos o mesmo desejo. Como é o Desejo que nos torna buscadores, questionadores, teríamos que ser iguais. Isso não é o que vemos. Portanto, está na Vontade a propulsão humana, que é o ato de evoluir, a cada novo conhecimento, a cada nova inspiração, e a cada nova conquista. Individualmente. Não é no querer, pois no querer podemos idealizar algo que possa gerar frustrações. Somos seres Limitados pela predestinação. Ter essa consciência nos auxilia no entendimento da vida em busca da Paz Interior.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

AMOR

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page